Adelaida Fugents é uma das pacientes do Hospício Oswald. De acordo com seus registros médicos, ela foi vítima de abuso sexual por parte de uma pessoa desconhecida que quase a matou, e que o trauma que sofreu causou alucinações auditivas e distúrbios de pensamento dentro dela. O Dr. Deern pegou seu caso e ela começou a fazer terapia com ele, o que parece beneficiá-la, pois evita que ela se machuque.

Interações[editar | editar código-fonte]

Fran pode curar os machucados de Adelaida usando os curativos que podem ser obtidos na mesa da enfermeira do lado do quarto dela ,após ajudar Adelaida ,Fran receberá um giz verde que pode ser usado para desenhar um castelo no papel.

Aparência[editar | editar código-fonte]

Adelaida é uma menina de 7 anos com cabelo castanho escuro curto e pijama azul com pontinhos amarelos na calça. Ela também tem cortes profundos auto-infligidos nos pulsos.

Sob os efeitos da Duotina, Fran vê Adelaida como uma boneca de tecido com sangue escorrendo de sua boca e uma sombra pairando sobre ela.

Personalidade[editar | editar código-fonte]

Adelaida é obcecada por desenhar, como evidenciam as paredes de seu quarto no Hospício cobertas de rabiscos. Ela também parece alegre enquanto desenha e gosta de falar sobre isso, provavelmente porque é fácil falar sobre isso. Ela afirma que não pode ver as sombras e só sabe sobre elas através das outras crianças no Hospício, provavelmente porque o desenho a distrai de vê-las. Ela está traumatizada a ponto de se machucar, mas leva a situação a sério o suficiente para pedir curativos para estancar o sangramento.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Adelaida se refere ao sangue como "leite vermelho", o que significa que ela realmente não entende a gravidade de se machucar. Dito isso, ela parece não gostar que isso aconteça e dá a Fran seu giz de cera verde para consertar seus cortes com os curativos.
  • Ao inspecionar o quarto de Adelaida sob os efeitos da Duotina, muitas marcas de mãos vermelhas podem ser vistas em sua cama e nos seios e genitais de seu "corpo" de boneca de tecido, sugerindo seu trauma de ter sido abusada sexualmente e quase morta. Além disso, a sombra que se aproxima e apalpa a boneca Adelaida fala sobre sua inocência sendo devorada e ninguém acreditar nela apesar do óbvio, culpando-a e não ao agressor.
  • Provavelmente, a sombra que assombra Adelaida simboliza seu agressor. Tem uma barba, sugerindo que seu agressor pode ter sido um homem mais velho.
Noutros Idiomas: Inglês, Russo
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.